24 de março de 2011

A Garota da Capa Vermelha

A aldeia de Daggorhorn, toda noite de lua cheia, desde o princípio dos tempos, é assombrada por seu maior inimigo: o Lobo. Para impedi-lo de destruir a aldeia e matar seus habitantes, lhe são oferecidos sacrifícios. É assim que Valerie lida, pela primeira vez, com a morte, ainda menina: ao ver seu bichinho de estimação ser sacrificado pelo bem de todos. Também é forçada a enfrentar a perda de seu melhor amigo, Peter, que deixa a aldeia em uma época conturbada.

Os anos se passam e Valerie se torna uma bela jovem. Ao término de um período de lua cheia, ela e sua irmã mais velha, Lucie, decidem acampar com colegas de trabalho. Parece que vai ser bem divertido, ainda mais que agora, após tantos anos, Peter retornou a Daggorhorn. Porém, em meio à escuridão do campo, Lucie é brutalmente assassinada pelo Lobo, e Valerie tem de enfrentar a perda mais uma vez.

É então que chega a aldeia Father Solomon. Conhecido por combater o Lobo, ele chega com uma ideia revolucionária: diz que o Lobo está entre eles. O Lobo é, na verdade, um deles. É assim que começa a loucura de Daggorhorn em busca pelo verdadeiro culpado por todos os assassinatos cometidos pelo Lobo.

A Garota da Capa Vermelha é uma adaptação sombria do velho conto da Chapeuzinho Vermelho. Valerie é a própria, que ganha uma capa vermelha de sua vó (e não um chapéu, nunca entendi esse nome). Seu pai é o lenhador. E o Lobo... bem, só lendo para saber.

Ou não, pois o livro termina sem final! Na verdade, a última página do livro diz:

Será este o verdadeiro final da história de Valerie?
Visite www.editoraid.com.br/agarotadacapavermelha e descubra!

Mas agora, ao visitar o site, ele informa que faltam 29 dias para a revelação. Ou seja, estou me mordendo de curiosidade.

A história do livro é bem envolvente e dinâmica, tudo vai acontecendo muito rápido e não há nenhum momento entediante. O clima é bem sombrio e se fala tanto em neve que eu até senti frio de verdade!

Normalmente os filmes são baseados em livros, mas, no caso deste, ocorreu o contrário: primeiro foi escrito o roteiro do filme, e depois o livro. Já li por aí que o livro é um complemento do filme, e não a pura transcrição dele. Mas como não assisti o filme ainda, não posso opinar a respeito.

Porém, por ter sido adaptado de um roteiro pré-existente, achei que faltou aprofundamento em algumas partes. A autora poderia ter explorado mais a relação entre as duas irmãs, suas infâncias, e escrito mais sobre os sentimentos de Valerie, nossa protagonista. Isso é algo que eu já percebi ser comum entre livros baseados em filmes: como a história já existe, o autor não se preocupa em descrever os sentimentos dos personagens. Em um filme você está vendo os rostos das pessoas, ouvindo uma música, toda essa cena passa sentimentos, mas em um livro isso não existe, é necessário descrever tudo. Senti falta disso mas, como já falei, isso é comum nesse tipo de adaptação. Muita coisa também terminou sem explicação, mas talvez sejam explicadas no filme ou no site. Só vendo a estreia para saber.

Um ponto que achei esquisito na tradução foi o nome dos personagens Solomon e Auguste. No livro eles são chamados de Father Solomon e Father Auguste, mas esse "father" em inglês significa "padre". Não entendi o porquê de não terem traduzido esse termo.

Um ponto super positivo para a Editora iD é a edição do livro, que é belíssima. Além da capa ser linda e chamar a atenção, dentro é cheio de detalhes. Eu não resisti e tirei essas fotos para mostrar a vocês:


Se você gostava de contos de fadas quando era criança - ou ainda gosta, como eu - leia este livro! Mas acredite na lenda e tenha cuidado com o lobo...

Capa original (eu gostei mais da brasileira que é igual ao filme, e vocês?):


E se você quer ler este livro, fique ligado que logo terá sorteio aqui no blog. ;)
Related Posts with Thumbnails