12 de setembro de 2011

Alyson Noel em Campinas

No último sábado, dia 10/09, a Alyson Noel esteve em Campinas/SP, uma das cidades visitadas na turnê de divulgação do livro Infinito. Mesmo não tendo os livros ainda (estou lendo Para Sempre agora), claro que eu não podia perder a oportunidade de conhecê-la; afinal, não é sempre que uma escritora de sucesso internacional visita a cidade.

Os pontos positivos desse evento vão todos para a Alyson. Super simpática, passou o tempo todo sorrindo. Teve um mini-bate-papo em que ela respondeu algumas perguntas da galera. Descobri que os escritores favoritos dela são J. D. Sallinger e Stephen King; que ela adorou churrasco, pão de queijo e café brasileiro e que os direitos autorais da série Os Imortais foram vendidos para o cinema, para a Summit Entertainment (a mesma que produziu os filmes de Crepúsculo). Depois ela autografou os livros de todos que estavam lá. Eu até entreguei um marcador do Meu Jardim de Livros para ela :)

A parte ruim do evento foi a falta de infra-estrutura e organização demonstradas pela FNAC e Editora Intrínseca (responsável pela turnê da autora). Para começar, o local do evento era muito pequeno para a quantidade de pessoas que estava lá (comportava no máximo 50 pessoas, certamente havia mais de 100). Eu fiquei com dor nas pernas até domingo, de tanto tempo que tive que passar em pé. Tudo bem, eu ainda sou jovem, mas havia vários idosos acompanhando seus filhos/netos, que não tinham onde sentar. Havia apenas 20 cadeiras para o evento e o pessoal começou a tomar conta das (poucas) cadeiras da cafeteria do lado. Ou seja: mais de 3 horas de pé.

Cheguei no evento as 14:30 (estava marcado para 16:00) e já tinha bastante gente lá. Um segurança da FNAC começou a distribuir senhas as 14:40 (ponto positivo para ele, que resolveu organizar o tumulto). Mas não havia NINGUÉM mais da FNAC ou da editora para organizar uma fila ou dar qualquer tipo de informação. Com a senha em mãos, o pessoal se dispersou, enquanto a Alyson não chegava. Porém, após o bate-papo, foi dito no microfone que os autógrafos seriam atendidos através de uma fila, e não da senha! Todo mundo começou a gritar: e a senha, chama pela senha. Finalmente alguém resolveu organizar a fila de acordo com o número da senha. No final deu tudo certo, mas foi um stress totalmente desnecessário. Se tivesse alguém organizando tudo desde as 14:00, não tinha virado tumulto.

Outra coisa interessante foi a jogada de marketing da Intrínseca. Para alavancar as vendas de Infinito, eles disseram que podia levar no máximo 2 livros por pessoa, sendo que um deles obrigatoriamente deveria ser Infinito. Vi várias pessoas sem Infinito em mãos na fila de autógrafo, e duvido que algum deles saiu sem autógrafo. A "obrigatoriedade" não foi regra, mas jogada de marketing.

Enfim, o tumulto, stress e dores nas pernas foram recompensados pela simpatia da Alyson, que é linda (sério, eu não acredito muito em fotos por causa do Photoshop, mas ela é super bonita pessoalmente), autografou dois livros meus e ainda achou meu marcador "cool" ;)

Algumas fotos do evento...

Fila para pegar senha indo lááá atrás.

Alyson durante o bate-papo. Super simpática.

Eu e Alyson :D
Related Posts with Thumbnails