27 de junho de 2012

Resenha do leitor: A Mulher de Preto

A resenha de hoje é assinada pela Sheila, que também é resenhista do blog Dear Book e mantém o blog Psicologia (s): teoria e prática. Vamos conferir?

Buscando na vasta biblioteca mental de palavras adjetivas, acredito que apenas uma é capaz de descrever perfeitamente este livro: intenso. Comecei a lê-lo às 10 da manhã de uma terça-feira cinzenta e terminei às 13:50 do mesmo dia, indo direto para a frente do computador resenhá-lo. Ainda me encontro sob o profundo efeito que a leitura me causou - e que momento melhor que este para tentar traduzir em palavras as sensações despertadas pela leitura de tal obra?

Pois bem, vamos a um pequeno resumo do que trata a estória. O livro nada mais é do que o relato escrito de Arthur Kipps, um advogado aposentado que se vê atormentado, às vésperas dos festejos natalinos, pela rememoração involuntária de fatos angustiantes que o perseguem, por mais que passem-se os anos. Os netos, ao redor da lareira, brincam à meia luz, contam estórias de fantasmas. Como explicar-lhes o indescritível pavor que lhe assoma essa brincadeira, aparentemente inocente?

Atemorizado, mas resoluto em exorcizar estes velhos fantasmas de uma vez por todas, Arthur resolve escrever sobre o que lhe acontecera à tempos idos, quando ainda era um jovem aspirante na carreira e foi mandado por seu chefe à Casa do Brejo da Enguia, para comparecer ao enterro e tratar de alguns documentos da Sra Drablow, uma antiga e importante cliente.

Já no enterro desta senhora, percebe o ar lúgubre que rodeia tanto o acontecimento em si – a morte, apesar de nunca ser bela, as vezes recobre-se de mantos sinistros quando não há quem pranteie quem se vai – quanto o lugarejo onde os trabalhos fúnebres se passam. Mais perturbador ainda, é a presença de uma estranha mulher de preto, que apenas ele parece poder ver.

- Diga-me, aquela outra mulher ... – eu disse ao alcançá-lo – Espero que consiga chegar bem e casa ... ela parecia incrivelmente doente. Quem era ela?
Ele franziu a testa (...)
- Eu não vi nenhuma jovem.
- Mas, certamente ... – E olhei para trás, para o cemitério da igreja, e lá estava ela novamente. Consegui ver de relance seu vestido preto e o contorno de sua touca.


Mas ninguém mais daquele lugar vê – ou admite ver – o mesmo que Arthur, que começa a perceber que há algo relacionado à Sra Drablow e o lugar onde residia, pois as posturas sempre se tornavam rígidas e as conversas eram abruptamente interrompidas quando o motivo de sua estada na região era evocado.

Arthur parte então para a Casa da Enguia onde se depara com névoas densas que o fazem perder-se, gritos de pessoas se afogando nos brejos traiçoeiros da estrada que leva à antiga morada da Sra Drablow, além de um melhor vislumbre da que passa a ser nomeada A mulher de Preto, visão aterradora que o faz acreditar que há mais que rumores de camponeses sem instrução rondando a velha casa.

Mas quando me virei, meu olhar percorreu mais uma vez o cemitério e então vi novamente a mulher com o rosto abatido que havia comparecido ao funeral da Sra Drablow (...) Mais cedo, quando olhei para ela, embora não tenha passado de uma rápida olhadela por vez, não havia notado nenhuma expressão específica em seu rosto arruinado, mas ficara extremamente impressionado com a aparência de sua grave doença. Nesse momento, vi que em seu rosto havia uma expressão. E era uma que só posso descrever – e as palavras parecem irremediavelmente inadequadas para exprimir o que vi – como uma maldade desesperada e nostálgica.

Apesar de a escrita ser bem estruturada e fluir com facilidade, para quem não gosta de textos muito descritivos o livro pode se tornar um pouco cansativo em alguns pontos. O princípio – até mais ou menos a página 80 – é francamente desanimador. Mas do meio para o fim, o relato vai ganhando uma cadência acentuada, a ponto de criar uma crescente expectativa pelo que estará por vir. Chega um momento em que parece-se embarcar junto com Arthur nesta luta contra os clamores da racionalidade, e ir em busca de respostas a este grande mistério. Afinal, qual a verdadeira história por trás dos gritos? Pelo que anseia tão desesperadamente a Mulher de Preto?

Recentemente adaptado para o cinema, o filme baseado no livro conta com a atuação de Daniel Radcliffe - que para quem não sabe é o ator que interpretou o famoso Harry Potter de J. K. Howlling - e vem recebendo uma boa atenção da mídia, mas ainda não o vi para conferir e comparar com a obra escrita.

A contracapa anuncia “um livro para quem gosta de sentir frio na espinha”. Não senti, nem o achei assustador. Mas, com toda certeza, trata-se de uma estória surpreendente, com um final perturbador. Correndo o risco de ser melodramática direi: aos que tiverem coragem, aventurem-se a lê-lo, pois certamente não se arrependerão.

Disponivel em: http://www.dear-book.net/2012/04/resenha-mulher-de-preto-susan-hill.html

Nota:

Sobre a resenhista - Sheila Schildt:

Sheila Schildt tem 24 anos, é de Porto Alegre-RS, atualmente mora em Viamão e é graduada em Psicologia, atuando na área clínica. Adora Cinema, Escrever, Ler, Séries, Música, Stephen King (principalmente a série "A Torre Negra"), Agatha Christie, O Senhor dos Anéis, The Big Bang Theory.
Resenhista para o blog Dear Book http://www.dear-book.net
E blogueira iniciante http://www.psicologias2011.blogspot.com/

23 comentários:

  1. Olá Sora,

    Ótima resenha, essa da Sheila. Li o livro e confesso que, apesar de bem escrito, eu esperava mais. Quando leio um conto ou livro de horror espero sempre a sensação correspondente. Em "A Mulher de Preto" existe tensão, mas o horror fica em uma dose menor. Contudo, nem por isso desaconselho a leitura. Pelo trailer do filme, que ainda não assisti, há mais horror na adaptação cinematográfica do que no livro.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Oi....Parabéns a resenha está ótima!

    Não podia deixar de ler a resenha já que vi o filme e achei muito bom, eu não li o livro porque não gosto muito de livros estilo terror que dão medo, mas agora fiquei com vontade de ler o livro e depois ver o filme novamente.
    Beijão Lizi

    ResponderExcluir
  3. Nossa, fiquei bege em ver como ela ler rápido, eu demoro uma semana para ler um livro, ou mais. Eu não vi o filme, porque achei que ele não valesse a grana do cinema, mas vendo essa resenha...ideias começam a mudar.

    ResponderExcluir
  4. não sabia que tinha o livro ;o
    ele estava no cinema estes tempos né, e acabou não dando para mim assistir =/
    mas nossa, estou super empolgada agora que fiquei sabendo que tem o livro, vou atras agora mesmo *-------*
    adorei a resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Muito boa a resenha. Eu tenho super vontade de ler o livro e ver o filme. Ainda não fiz nenhum dos dois, que frustrante UAHSUHAUSHAUS Mas enfim, espero ter uma oportunidade logo logo :D

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing

    ResponderExcluir
  6. adoro thrillers envolventes! isso é uma prova muito boa: pouquissimos livros (não infantis, claro) podem ser lidos em menos de quatro horas.

    ResponderExcluir
  7. Olá, meninas!
    Não assisti ao filme e nem tampouco pude ler esse livro, mas acho que essa é a primeira resenha que leio a respeito.
    Também me desanimo quando as primeiras páginas tem uma narrativa mais arrastada, mas se flui rapidamente nas demais já é um alívio rs.
    Adorei a resenha!
    Bjos.

    Mariana Ribeiro
    Confissões Literárias

    ResponderExcluir
  8. Haaa que resenha 10
    Quero ler, pq o filme eu ja vi, e pelo que pude notar tem algumas diferencas né, mais não posso chegar e perguntar aqui, haa, aconteceu isso no livro hehehe, as pessoas vão me esfolar aqui hehe
    fiquei super curiosa agora ^^

    beijoss
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Primeiro que resenha linda ! Adorei a forma com que você escreveu, ficou incrível. Fiquei aqui pensando enquanto lia a resenhas , quem é esta mulher ? O que vai acontecer? Certamente irei ler.

    http://relembrandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi
    Esse livro está na minha lista de desejados há algum tempo já, mas ainda não realizei o desejo. ashahahaa
    A história me chamou mt atenção! Gosto de histórias assim. A resenha ficou perfeita!

    Lucas
    livrosecontos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Esse livro parece ser bastante interessante
    E tem até o filme
    Ainda mais por ter todo uma trama

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Adorei a resenha, ainda não assisti o filme, quero ler o livro antes para depois comparar. Parece ser muito legal, espero poder ler logo. Adoro suspense com uma ponta de terror!
    Beijos ;**

    ResponderExcluir
  13. nossa a resenha está ótima,ainda não li o livro nem o vi o filme...fiquei super curiosa pra ler,porque gosto desse tipo de historia...estou necessitando pelo menos ver o filme só pra amenizar a vontade de ler rs'

    ResponderExcluir
  14. Ah, é bom saber que não é tão assustador assim, pois fiquei com mais vontade de ler. Tinha praticamente desistido de querê-lo, mas agora voltei. AHSUAHUSAUHSUAU

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  15. Olá!!

    Uau!!

    Parece mesmo difícil de largar! com todo esse suspense!

    Beijos,

    Samantha Monteiro
    Word In My Bag
    http://wordinmybag.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi!

    Este livro não foi o que eu esperava.

    Foi a primeira vez que preferi o filme.
    Demora muito mesmo a pegar um ritmo, e fica muito cansativo.

    Bjos!
    Cida
    http://www.moonlightbooks.net/

    ResponderExcluir
  17. Que bacana! Não sabia que tinha um livro.. #desatualizada! E que legal saber que a resenhista é graduada em Psicologia! Acabei o meu primeiro semestre agora do mesmo curso e estou indo para o segundo! Estou super animada! *-*

    Beijos, Milena.
    Livros na Cabeça

    ResponderExcluir
  18. Muita gente já me disse que não sentiu o tal frio na espinha, mas que o livro era bom. Estava doida pra ler, mas acabei deixando e deixando e até agora nada. Também não conferi o filme ainda, mas pretendo. Mas algo me diz que é melhor ler o livro de manhã :B

    beijitos
    http://www.bookpetit.com/

    ResponderExcluir
  19. Hum, não pude assistir ao filme e talvez tenha sido melhor: sempre prefiro ler ao livro antes, e esse é um dos que quero muito ler - e em breve - assim evito que alguma surpresa do livro seja entregue, rs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Gosteii da resenha.. interessante o livro :)
    @talitasolidade

    ResponderExcluir
  21. Oie!
    Acho que só li uma resenha além dessa sua, mas não era muito animadora. Essa é mais positiva e até me animou pra ler o livro hahaha

    Gosto de histórias de fantasmas, mas acho que a maioria dos livros que tentam abordar esse tema não cumprem muito bem o papel. Outro dia mesmo li um e não deu pra sentir medo em momento algum. Uma pena ;_;

    AH, e é J.K. Rowling ;)

    Beijoooo!

    Ju
    julianagiacobelli.com

    ResponderExcluir
  22. Eu não li o livro, mas assisti o filme e realmente tive muito medo, me assustei pra caramba. Se apenas no filme fiquei assim, nem vou me arriscar com o livro! O final me deixou triste e feliz. Só quem assistiu vai entender porque u.u

    ResponderExcluir

Olá!
Agradeço muito pelo seu comentário!
Logo irei retribuir sua visita. :)

(Comentários que não estejam relacionados à postagem e contenham apenas propaganda serão excluídos)

Related Posts with Thumbnails