28 de agosto de 2012

Belo Desastre

Houve uma explosão de sons quando Travis apareceu do outro lado da sala, sem camisa, relaxado e confiante. Foi caminhando a passos largos até o centro do círculo, como se estivesse se apresentando para mais um dia de trabalho. Com os músculos firmes estirados sob a pele tatuada, cumprimentou Marek, estalando os punhos cerrados nos nós dos dedos do oponente.
(página 11)

Abby Abernathy conhece Travis Maddox no Círculo - uma espécie de Clube da Luta da faculdade em que estudam. Ela mudou de estado para fugir de seu passado; ele é um mulherengo, que ganha dinheiro nas lutas. Eles fazem uma aposta: se ele perder, terá que ficar um mês sem sexo. Se ela perder, terá que passar um mês morando com ele.

Por causa da capa misteriosa, quando peguei este livro achei que era uma história sobrenatural. Mas não é, é um romance conturbado entre Abby e Travis.

Eu confesso: odiei o Travis! Não consegui gostar dele em nenhuma página do livro e, quando ele acabou, continuei não gostando. É o tipo de cara pelo qual eu não conseguiria me apaixonar de jeito nenhum: dorme com qualquer uma, fuma igual uma chaminé, bebe até cair, é grudento, chato, stalker, infantil. Eu não desejo um Travis para ninguém. Sério, se eu fosse a Abby, teria pedido uma medida cautelar contra ele. Abby é uma tonta, por ficar indo na onda dele.

Que tal estes atores para Travis e Abby? (por Anne Rue)

Não sei se estou velha ou se os personagens realmente são muito infantis (apesar de terem por volta de 20 anos). Apesar disso, a história em si me fez grudar no livro, logo nas primeiras páginas. À medida que lia, queria ler mais, e mais, e mais... É o tipo de livro que não dá para largar. E justamente pela narrativa ser tão boa, tão bem escrita, que eu acabei gostando do livro. Incrível. Se a autora não escrevesse tão bem, certamente teria abandonado logo nos primeiros capítulos, justamente por causa de Travis e Abby. A narrativa é a parte mais importante de um livro, e foi por causa dela que, no final, acabei gostando de Belo Desastre.

O livro terá uma continuação, Walking Disaster, que deve ser publicada em 2013. Será a história de Belo Desastre contada sob o ponto de vista do Travis. Talvez, entendendo o lado dele, eu consiga simpatizar um pouco (só um pouco!) com ele.

Eu recomendo este livro para quem quer ler um romance diferente. Não é BELO, mas também está muito longe de ser um DESASTRE.

Curiosidade: o apelido que Travis dá para Abby, na versão original, é "pigeon" (pombo), mas em português ficou "beija-flor". Não sei porque mudaram o pássaro, mas eu prefiro um beija-flor que um pombo!

Outras capas (achei essa da língua tatuada horrorosa):


Nota:

Onde comprar: Submarino
Related Posts with Thumbnails