6 de setembro de 2012

Sabor de Sangue e Chocolate

- Tu está sangrando - disse-lhe Brandão, com seu sotaque gaúcho. - Vou levar os dois ao hospital. No caminho, ligo para os teus pais.
O adolescente não disse nada.
Só sentia fome.
(página 14)

Após ser baleado salvando seu irmão de um assalto, Alex, 17 anos, começa a sentir uma fome estranha. Sua mãe o ignora e o culpa por tudo que acontece de errado em sua vida. Para ajudá-lo, Brandão, o motorista da família, resolve levar Alex com ele para Nova Guanaja, uma tranquila cidade no Rio Grande do Sul, onde sua neta Claudia está no hospital. Porém, logo coisas estranhas - mortes estranhas - começam a aparecer na cidade.

Eu ganhei este livro faz um bom tempo, em uma promoção do blog Book is Life. E ele sempre foi ficando para trás na minha pilha de livros não lidos. Eu sei que não se deve fazer isso, mas sim, eu julgo um livro pela capa e a capa deste é bem feinha, por isso não me sentia incentivada a começar. Até que estava olhando para ele na estante e resolvi pegá-lo para ler. Arrependi-me instantaneamente de ter demorado tanto tempo para começar esse livro, pois ele é muito bom!

Gramado/RS, perto da fictícia Nova Guanaja (fonte)

O começo já me prendeu. Afinal, por que Alex sente uma fome estranha por sangue? Por que sua mãe o odeia? O que estava acontecendo em Nova Guanaja? Eu ia fazendo uma pergunta atrás da outra durante a leitura. E depois de um tempo, foi tendo uma revelação atrás da outra, que só me fazia ler mais. Só parava de ler porque precisava acordar cedo no dia seguinte para trabalhar.

Uma das coisas que achei legal na narrativa foi o sotaque dos personagens. Alex é de Santos/SP e o jeito que ele "fala" é diferente dos personagens do RS. Nunca tinha percebido isso em um livro.

No final, eu adorei esse livro! E aprendi que realmente não se pode julgar um livro pela capa. Quem gosta de histórias sobrenaturais - com um sabor de sangue e chocolate - não pode perder!

Nota:

Onde comprar: Saraiva
Related Posts with Thumbnails