4 de outubro de 2012

A Dama e o Libertino

Ela também descobrira, através de observação direta, que ele podia ser muito charmoso quando desejava, especialmente com as mulheres, que então respondiam como se ele, de alguma maneira, tivesse transformado suas mentes em mingau.
Não a de Esme, é claro.

(página 6)

Jamie, o irmão de Esme, recebe um pedido de ajuda de sua ex-noiva, que acha que alguém está extorquindo dinheiro de seu pai. Ele envia Esme, sua irmã, e seu amigo Quintus MacLachlann para descobrir o que está acontecendo, disfarçados como um casal. Mas este livro é um romance, então... Já dá para imaginar o que irá acontecer.

Eu costumo gostar de romances históricos e com este livro não foi diferente. A mocinha, Esme, é do tipo que eu gosto: aquela que não gosta das regras da sociedade, que quer mudar as coisas. O mocinho é daqueles que todo mundo acha que é um libertino, mas esconde um segredo. Enfim, é aquele casal que sempre briga, mas que acaba ficando junto no final.

Além do romance, tem vários mistérios, como o do pai de Catriona (a ex-noiva de Jamie), por que ela e Jamie terminaram, o que aconteceu com o primo de Quintus... Eu acabei não descobrindo nada antes do final.

Eu gostei bastante do livro. Recomendo a todas que gostam de romances históricos! É meio no estilo dos da Candace Camp que já resenhei aqui no blog; quem gosta dessa autora também deve gostar deste.

Outras capas:

Nota:

Onde comprar: Harlequin
Related Posts with Thumbnails