19 de novembro de 2013

Amante Consagrado

6º livro da série Irmandade da Adaga Negra.
Atenção! Esta resenha pode conter spoilers dos livros anteriores da série!

Resenhas anteriores:
1. Amante Sombrio
2. Amante Eterno
3. Amante Desperto
4. Amante Revelado
5. Amante Liberto

O mago havia retornado.
Phury fechou os olhos e deixou a cabeça encostar na cabeceira. Ah, que inferno, o que ele estava dizendo? O mago nunca tinha ido embora.

Phury se tornou o Primaz no final do livro anterior e levou Cormia, uma das Escolhidas, para viver com ele na mansão da Irmandade. Ele ainda sente-se apaixonado por Bella, esposa de seu irmão Zsadist, e não quebrou seu voto celibatário. Porém, percebe que Cormia está muito sozinha e designa John Matthew para fazer companhia a ela. Com ajuda dele, Cormia começa a explorar a mansão e descobrir o mundo do lado de cá, o que me fez pensar em como relevamos os objetos do nosso dia-a-dia - imagine como deve ser estranho ver uma televisão pela primeira vez?

Comecei a entender um pouco mais de Phury durante o livro de Z., mas só em Amante Consagrado pude entendê-lo completamente. Passei o livro torcendo para que Phury ficasse apenas com Cormia, sem as outras quarenta Escolhidas, e que ela fosse motivo para que ele parasse com o vício nojento da fumaça vermelha.

O livro é longo (534 páginas), mas sempre tem um monte de coisas acontecendo e me fez lembrar porque adoro tanto essa série. Quando começo a ler, me transporto totalmente para o mundo de IAN e fica difícil deixá-lo no final. Depois de um final surpreendente, não vejo a hora de pegar o próximo livro, Amante Vingado. Se você gosta de histórias de vampiros e ainda não leu esta série... Leia!

"Eu amo você para sempre" nem sempre precisava ser dito para ser entendido.

Outras capas:


Nota:

Onde comprar: Submarino
Related Posts with Thumbnails