13 de março de 2014

Peça-me o que quiser, agora e sempre

Livro não recomendado para menores de 18 anos.

Continuação de Peça-me o que quiser. Atenção! Esta resenha contém spoilers do livro anterior da série!

Depois de sair do escritório, chego em casa me sentindo como se tivesse levado uma surra. Olho as caixas embaladas e fico com o coração partido. Tudo foi à merda.

Judith Flores demitiu-se de seu emprego e voltou para a casa do pai, em Jerez, na Espanha, tudo para tentar esquecer o alemão Eric Zimmerman. Mas ele não está disposto a desistir dela tão facilmente...

Um problema comum em trilogias é que o livro 2 costuma ser uma enrolação, só para chegar ao final de tudo no livro 3. Porém, no caso de Peça-me o que quiser, o segundo livro foi ainda melhor que o primeiro!

A narrativa viciante e tensa de Megan Maxwell continua. É difícil pegar o livro e ler só um ou dois capítulos, dá vontade de ler o livro inteiro de uma vez. E, neste livro, apesar do casal continuar sendo orgulhoso e cabeça-dura, vemos algumas mudanças. Eric - o meu, seu, o nosso Iceman! - cede em algumas discussões, e Jud está mais decidida e não tem pudor algum em tomar a iniciativa nos jogos de Eric. Esses, aliás, continuam bem quentes...


O que mais gostei na história deste livro foi o desenvolvimento do relacionamento entre Jud e Flyn, o sobrinho de 9 anos de Eric. Quando o conhece, ele é praticamente um mini-Iceman, mas com seu carisma e impetuosidade espanhóis, Jud consegue se aproximar do menino. Mas não foi fácil!

Peça-me o que quiser está sendo minha trilogia favorita deste ano. Vamos ver como Espanha versus Alemanha irá terminar, no próximo e último livro - Peça-me o que quiser ou deixe-me.

Outras capas:

Nota:

Onde comprar: Submarino

Livro cedido para resenha pela editora Suma de Letras.
Related Posts with Thumbnails