3 de junho de 2014

Misery - Louca Obsessão

Trevas. E então a dor e a névoa. Então a percepção de que, embora a dor fosse constante, ela ás vezes sumia em uma trégua incerta que ele supunha ser alívio.

Este livro certamente veio de um pesadelo de Stephen King. Todo mundo que gosta de ler já deve ter ficado com raiva do autor quando ele mantou um personagem preferido. Mas imagine levar isso ao extremo e manter o autor em questão em cativeiro, até que ele escreva um livro ressuscitando o personagem. É o que Annie Wilkes faz com Paul Sheldon, autor da série de romances Misery. E se ele não quiser escrever? Bem, digamos que ela tem meios de convencê-lo.

King, mais uma vez, cria uma história que não dá para largar. E isso com apenas dois personagens, Annie e Paul. O autor nos leva ao limite da loucura e consegue nos assustar sem qualquer personagem ou motivo sobrenatural, apenas com a paranóia e obsessão humanos.

Apesar da história ser narrada em primeira pessoa, é possível saber exatamente o que Paul está sentindo - e sofrer com ele. Passamos, juntos, por seu estado de confusão, seguido por resignação, terror, calma e, finalmente, vingança.

Falando um pouco da parte técnica, a nova edição da Suma de Letras está perfeita, com tradução impecável. Gostei de terem mantido o título original (já vi em algum lugar uma edição antiga que chamava o livro de Miséria), com o nome do filme como subtítulo (sim, existe um filme de 1990, com James Caan e Kathy Bates nos papeis principais, que é ótimo). Mas o melhor detalhe do livro são as páginas datilografadas por Paul, que possuem os "nn" preenchidos "manualmente" como na história.


Misery é um livro para ser lido por fãs de livros que sofrem com o destino de pessoas que não existem. Aposto que você também irá sofrer com Paul e Annie.

Outras capas:



Nota:

Onde comprar: Submarino

Livro cedido para resenha pela Suma de Letras.
Related Posts with Thumbnails