22 de janeiro de 2015

Sonhos Despedaçados

Solitário.
Era uma palavra estranha, mas enfim. Solitário. A antiga residência, com suas janelas escuras e laterais deterioradas, parecia estar...
À espera.

Após um jogo de Verdade ou Desafio dar errado, uma adolescente desaparece. Quem talvez possa ajudá-la é Trinity, recém-chegada à cidade de Nova Orleans, que tem visões. Ao mesmo tempo que em tenta encontrar Jessica, Trinity se aproxima mais do ex-namorado dela, Chase.

Esse livro tinha bastante potencial. Tem bastante mistério, pois não sabemos o que aconteceu com Jessica nem onde ela está. Tem sobrenatural, com as visões estranhas de Trinity. E tem um ótimo cenário para uma história de suspense: a Nova Orleans pós furacão Katrina. Porém, ele não funcionou comigo.

A narrativa é extremamente confusa. Precisei ler mais uma vez o começo da história e ainda assim fiquei sem entender direito o que aconteceu na casa. Os personagens, também, não foram bem desenvolvidos. Eu não conseguia diferenciar as garotas (Jessica, Amber, Bethany) e nem os caras (Chase, Drew, Pitre) entre si, pois eles não tinham personalidade.

O casal principal, Trinity e Chase, são dois chatos. Fiquei até com vontade de contar quantas vezes um falava o nome do outro, pois os diálogos eram basicamente:

Trinity: - Chase...
Chase: - Trinity...

Imagem do booktrailer

Sonhos Despedaçados tinha tudo para ser um bom livro mas, infelizmente, decepcionou. Este é o primeiro livro da trilogia Libélula da Meia-Noite e, para ser sincera, não tenho vontade de ler as continuações.

Nota:

Outras capas:


Livro cedido para resenha pela Novo Conceito.
Related Posts with Thumbnails