19 de fevereiro de 2015

A Heart for Copper

I have a heart-shaped hole. Like an empty bird's nest, it rests among marigold-hued ruffles above the topmost hook of my corset.
The hole was not left by something removed, but for something anticipated.
I am an automaton.

Vocês se lembram dos livros da série Escolha sua aventura, populares no começo dos anos 1990? Eram livros em que, ao final de cada capítulo, precisávamos escolher como a história ia continuar. Cada escolha levava a uma página e uma história diferentes. (se você não conhece, dê uma olhada neste post do blog Mãe Geek).

A Heart for Copper é nesse estilo. Não é um livro linear; no final de cada capítulo, é preciso tomar uma decisão e escolher como a história irá continuar.

O livro nos coloca sob o ponto de vista de Copper, uma espécie de robô, que acabou de ser ativada por seu mestre, William. Mas a Inquisição proibe a criação de novos autômatos, fazendo com que Copper (ou melhor, você, leitor) precise decidir o que fazer depois de ter seu coração ativado.

Com um cenário steampunk e um romance entre criador e criatura, este livro tinha tudo para dar certo. Porém, seu problema é que acaba rápido demais! Talvez tenham sido as escolhas que fiz, mas não houve praticamente conflito algum. Quando achei que a história ia começar, ela terminou e deixou tudo sem explicação. Por que a irmã de William é tão má? Será que podemos lutar contra a Inquisição? Há outros autônomos vivendo escondidos? O mundo criado pela autora é tão interessante, merecia melhor tratamento.


A Heart for Copper é um livro curto demais, que nos deixa com mais perguntas do que respostas. Porém, foi divertido voltar à época dos livros estilo "você decide" e pretendo procurar outras leituras assim. Pena que esta não deu muito certo.

Nota:

Compre na Amazon (em inglês). É possível ler o 1º capítulo no site da editora SilkWords.

Livro cedido para resenha pelo NetGalley. Este livro faz parte do Desafio de E-books 2015.
Related Posts with Thumbnails