16 de junho de 2015

A Lista

- Vou contar o que é. O arquivo está em casa. No meu escritório. (...) Está arquivado na letra "N", com o título de "Nomes". Pegue a pasta, traga-a para mim e eu conto do que se trata.

A jornalista Kitty Logan está com a carreira arruinada e sua editora e amiga, Constance, encontra-se no hospital. Em uma visita, Kitty lhe pergunta se há alguma história que ela sempre quis escrever e nunca o fez. Constance, então, lhe pede que vá buscar um envelope em sua casa.

Porém, Kitty não tem chance de perguntar mais nada a amiga, pois logo ela morre, vítima do câncer. E o que havia no envelope? Uma lista de cem nomes, e Kitty não faz ideia do que eles significam.

A vida da Kitty estava tão no fundo do poço que eu sentia até dó dela - apesar do motivo que a levou até lá. Sério, ela passa o livro inteiro sofrendo por causa disso. Porém, a lista de Constance dá a ela, e a nós leitores, uma esperança de que talvez exista alguma saída.

Não é possível falar muito sobre a história de A Lista, pois o legal é ler sem saber de nada mesmo e ir descobrindo aos poucos, junto com Kitty. Mas posso dizer que a parte mais importante da história são seus personagens. Não há nenhum super herói, nenhuma mocinha inocente ou homem sedutor. São personagens reais, com tristezas e alegrias como todo mundo. São tão bem construídos que parecia até que eu estava lendo uma história real.


A narrativa é super fluida, cheia de diálogos que fazem as páginas passarem rapidamente. É tão gostosa de ler e eu gostei tanto de passar meu tempo com Kitty e os outros que até senti uma tristeza quando terminei o livro. Eles com certeza deixarão saudades.

Já há alguns filmes baseados em livros de Cecelia Ahern, como P.S. Eu te amo e Simplesmente Acontece. A Lista daria um filme excelente. Eu amei o livro e fico na torcida para que ele seja adaptado para o cinema.

Cem nomes. Uma promessa. Todo mundo tem uma história...

Outras capas:


Nota:

Livro cedido para resenha pela Novo Conceito.
Related Posts with Thumbnails