29 de março de 2016

Jogos Mentais

"A terra tem seus limites, mas a estupidez humana é infinita." - Gustave Flaubert

Você acha que passa muito tempo conectado à internet? E se passasse todas as 24 horas do seu dia conectado? Você acharia isso normal?

No mundo de Jogos Mentais, isso não só é normal, como é a regra. Até nas escolas as aulas são dadas virtualmente. Mas, com Luna, não é assim. Ela é uma Recusadora: alguém que não quer ficar conectado.

Porém, ao contrário de outros Recusadores, que se apoiam em religiões ou outros motivos pessoais, ela é assim por causa de algo único e secreto. Luna consegue ficar conectada e continuar no mundo real ao mesmo tempo, e sua avó - que todos acham que ficou louca - a instrui a não contar esse segredo a ninguém.

Reli o primeiro capítulo (disponível aqui) antes de começar a escrever a resenha e foi aí que percebi quanta coisa aconteceu nesse livro! A vida de Luna mudou completamente ao longo dele. Ela, que era alguém que não se interessava tanto por tecnologia, de repente se viu sugada por ela.

Ainda não havia lido nenhum livro da autora, que tem o curioso nome Teri Terry, mas posso dizer que ela tem uma imaginação incrível. Certas cenas que se passam no mundo virtual são tão complexas que doía meu cérebro só de tentar imaginar.


Eu realmente estava disposta a dar cinco florzinhas a este livro, mas o final me decepcionou um pouco. Achei que o final foi confuso e acabei não entendendo o que Luna queria com tudo aquilo. Porém, pensando pelo lado bom, o livro tem final, não é trilogia ou série.

Jogos Mentais é um young adult que trata de forma fantasiosa temas bem atuais. Eu gostei bastante e acabei com as unhas, de tão tenso que é. Se você gosta de tecnologia e distopias, leia!

Outras capas - achei a capa brasileira bem mais bonita e mais a ver com a história do livro.


Nota:

Livro cedido para resenha pelo Farol Literário.
Related Posts with Thumbnails