14 de janeiro de 2017

Aprisionada pelo Viking

Finalmente compreendendo o perigo que se aproximava, ela se virou e começou a correr. O coração de Eirik acelerou, e sentiu o impulso de detê-la antes que ela avisasse todo mundo. Ele pulou do barco e suas botas chapinharam na água; seus homens o seguiram, largando os remos e desembarcando para puxar o navio para a praia.

865 anos depois de Cristo. Merewyn vivia com a família de seu irmão na Nortúmbria e, apesar de ser uma nobre, sempre foi tratada pela cunhada como uma criada. Quando as terras deles são invadidas pelos nórdicos, ela é dada pela cunhada para Eirik, o viking.

Se não tivesse sido oferecida a ele, Eirik iria levá-la consigo de qualquer jeito. O coração dele bateu mais forte desde que a viu na praia, dançando sozinha...

Vamos admitir: o título do livro, Aprisionada pelo Viking, é meio bobo. Mas não deixem de ler por causa dele, pois a história é muito legal!

Eu fiquei com muita dó da Merewyn, sério. Ela não merece o jeito que o irmão e a esposa dele a tratavam. A melhor alternativa para ela era mesmo ir morar com os vikings.

Imagem original: dolphinjazz.tumblr.com

Eirik é um caso a parte. Ele tem um jeito todo machão, mas fica meio sem saber como lidar com seus sentimentos em relação a Merewyn - ainda mais que, na terra dele, ela é uma mera escrava, enquanto ele é o herdeiro do jarl (o conde da época). Então tem toda uma história de amor impossível entre eles.

Além disso, há um mistério em relação ao passado de Eirik que, quando foi revelado, me surpreendeu. Eu nunca havia visto esse tema tratado em romances - mas infelizmente não posso contar para vocês!

Um personagem que aparece mais para o final e que gostei foi Gunnar, meio irmão de Eirik. A história dele será contada no próximo livro da série, e eu já estou torcendo para que a Harlequin publique-o logo.

Outras capas:

Nota:

Livro cedido para resenha pela Harlequin.
Related Posts with Thumbnails