10 de julho de 2017

Extraordinário

Sei que não sou um garoto de dez anos comum. Quer dizer, é claro que faço coisas comuns. Tomo sorvete. Ando de bicicleta. (...) Mas sei que as crianças comuns não fazem outras crianças comuns saírem correndo e gritando do parquinho.

August Pullman, mais conhecido como Auggie, tem dez anos e já passou por mais de vinte cirurgias. Ele nasceu com uma deformidade facial, que já lhe impôs diversos problemas. O maior deles, talvez, é a reação que as pessoas têm quando vêem seu rosto.

Auggie estava estudando em casa, mas agora ele vai entrar em uma escola comum. Não sei quem fica mais apreensivo, o menino ou seus pais. Apesar de seu rosto diferente, Auggie não se vê tão diferente dos outros garotos.

Já tinha lido diversas resenhas e comentários positivos sobre Extraordinário, mas não estava preparada para gostar tanto desse livro! Em primeiro lugar, eu amei o Auggie. Ele é inteligente, divertido, gosta de Star Wars... E, apesar de tudo o que aconteceu com ele, sempre procura ver o lado bom das coisas.

Outra coisa legal no livro é que ele é contado em primeira pessoa, mas por diversos personagens. E nisso a autora se deu bem. Tem muitos livros que, quando troca o narrador, a gente nem percebe, mas neste livro isso ficou muito nítido.


O livro é cheio de lições sobre empatia, aceitação, amizade... Uma leitura maravilhosa, que certamente agradará leitores de todas as idades. Deveria, também, ser leitura e discussão obrigatória nas escolas, onde muitos meninos e meninas sofrem mais bullying do que Auggie.

Extraordinário foi adaptado para o cinema e o filme deve estrear em novembro (veja o trailer aqui). O trailer já é bem emocionante. Se eu já chorei no livro, vou ter que levar uma caixa de lenços para o cinema.

Outras capas:


Nota:

Related Posts with Thumbnails