23 de outubro de 2017

The Light Fantastic

Inside the ship is Twoflower, the Disc's first tourist. He had recently spent some months exploring it and is now rapidly leaving it for reasons that are rather complicated but have to do with an attempt to escape from Krull.

This attempt has been one thousand percent successful.

(Dentro do navio está Twoflower, o primeiro turista do disco. Ele passou recentemente alguns meses explorando e agora está deixando rapidamente isso de lado por razões bastante complicadas, mas que têm a ver com uma tentativa de escapar de Krull.

Essa tentativa tem sido mil por cento bem sucedida.)

2º livro da série Discworld. Resenhas anteriores:
1. The Color of Magic
3. Equal Rites

Esta resenha NÃO contém spoilers dos livros anteriores da série!

The Light Fantastic começa exatamente onde The Color of Magic terminou, portanto, prosseguimos com as aventuras dos magos Rincewind e Twoflower. Agora os dois já estão bem entrosados, mas ainda tem alguns conflitos, principalmente por causa das atitudes sem-noção de Twoflower, o primeiro turista de Discworld.

Eu havia achado o livro anterior um pouco confuso, pois ele tinha diversas storylines que se misturavam e muitos personagens. Nesse ponto o segundo livro é melhor. Ainda tem vários personagens, porém achei mais fácil acompanhar a história de todos eles, pois em algum momento eles se cruzavam com a história de Rincewind.

O livro tem um final fechado, sem deixar um gancho para um próximo. Mas eu gostaria de ler mais livros com Rincewind e Twoflower, pois os dois são garantia de boas risadas.

The Light Fantastic foi publicado originalmente em 1986, e no Brasil em 2002 pela editora Conrad, com o título A Luz Fantástica.

Outras capas:

Nota:

Related Posts with Thumbnails