3 de abril de 2018

Só Garotos

Costumávamos rir de nós mesmos quando crianças, dizendo que eu era uma menina má tentando ser boa e que ele era um bom menino tentando ser mau. Com o passar dos anos esses papeis se reverteriam, depois reverteriam de novo, até que acabamos aceitando nossa natureza dual. Contínhamos princípios opostos, luz e trevas.

Quando recebi o kit de março da TAG Livros, fiquei feliz e triste ao mesmo tempo. Feliz porque vieram dois livros ao invés de um (o outro, Devoção, já resenhei aqui), triste porque o livro principal era uma biografia. Já pensei que seria um daqueles que iria levar o mês inteiro lendo, devagarzinho, porque ia ser chato.

Pois é, vocês podem ver que eu tinha um certo preconceito com biografias, que foi por água abaixo com esse livro. Logo nas primeiras páginas, já me senti envolvida pela escrita de Patti Smith e não queria parar de ler. Eu conhecia a Patti Smith do mundo do rock (amo Because the night), mas através de Só Garotos conheci a Patti artista, poetisa, escritora, amiga e amante.

O livro veio de uma promessa que ela fez ao fotógrafo Robert Mapplethorpe, feita pouco antes de ele morrer, de que ela iria contar a história de vida deles. Então, o livro começa com Patti chegando em Nova York nos anos 1960 e os altos e baixos de sua vida com Robert, passando pela carreira dos dois.

Robert deixou este mundo em 1989, mas Patti continua na ativa, aos 71 anos. Eu adorei poder conhecer um pouco sobre eles através de Só Garotos.

Podemos tentar mas nunca seremos tão estilosos quanto esses dois (Pinterest).

Nota:

Related Posts with Thumbnails