16 de junho de 2018

Coragem

Nós, sobreviventes, estamos usando nossa vez como nunca antes. Não podemos abrandar e, por mais difícil que seja, devemos continuar a falar ainda mais alto, a seguir com ainda mais força. Todas contam. Todas importam.

Eu conhecia a atriz Rose McGowan como a maioria deve conhecer, através da extinta série Charmed. Não sabia nada sobre a história dela como pessoa mas, depois de ler diversas resenhas positivas de Coragem, resolvi conhecer também.

O livro é uma autobiografia e começa desde sua infância, quando vivia com os pais dentro de uma seita, até se tornar atriz. Eu não sabia, mas Rose foi uma das atrizes que denunciou o produtor Harvey Weinstein - a quem ela se refere, justamente, como "Monstro".

Eu fiquei embasbacada com a quantidade de gente suja que Rose encontrou em sua vida. É um livro de difícil leitura porque faz a gente perder a esperança na humanidade, sério. Mas é uma leitura muito necessária. A exposição que ela faz dos bastidores de Hollywood é de embrulhar o estômago, mil vezes.

Com certeza é um livro que precisou de muita coragem para ser escrito. Recomendo mesmo para quem não faça a menor ideia de quem é a autora, pois Coragem é para ser lido, refletido e comentado.


Nota:

10 de junho de 2018

Só Escute

Nos anos que viriam, eu sempre me lembraria desse momento. Clarke e eu, no verão depois do sexto ano, paradas atrás daquela garota. Tantas coisas poderiam ter sido diferentes para mim, para todas nós, se outra coisa tivesse acontecido naquele instante.

Um ano atrás, Annabel era a "garota que tem tudo": melhores amigas para ir em festas do colegial, uma família de comercial de margarina e comerciais e desfiles. Agora, porém, ela está desolada. Suas amigas não falam mais com ela, sua família só finge que está tudo bem e ela não quer mais trabalhar como modelo. Em mais um almoço escondida no colégio, ela conhece Owen, um cara que também tem poucos amigos e está sempre com fones de ouvido. Ao contrário de Annabel, que sempre escondeu seus sentimentos, Owen é sempre sincero.

Para encarar a verdade, você precisa estar disposto a ouvi-la.

Sarah Dessen é minha escritora preferida de romances young adult. Só Escute tem uma linha narrativa bem similar a dos outros livros dela: a narradora tem um segredo, que vai se revelando aos poucos em flashbacks, a medida que a história progride no presente. Ela consegue me prender facilmente às páginas, pois ficava ansiosa para saber o que era o segredo de Annabel e como tudo iria se desenrolar.

No começo foi difícil ter alguma simpatia por Annabel, não conseguia entender porque ela seguia Sophie como uma tonta - simpatizei mais com outra ex-amiga delas, a Clarke, e, claro, com Owen. Também gostei bastante de Kristen, uma das irmãs mais velhas de Annabel e a única pessoa daquela família que era responsável o bastante.

O livro não é só um romance fofinho, mas trata de diversos temas pertinentes ao universo adolescente que sempre precisam de divulgação, como bullying, amizade e consentimento. O final da história foi realista, com nem todos personagens encontrando a redenção, mas talvez trabalhando nisso.


Nota:

3 de junho de 2018

The Regulators

A shotgun barrel pokes out. It is an odd color, not quite silver, not quite gray. The twin muzzles look like the symbol for infinity colored black.
Somewhere beyond the blazing sky, afternoon thunder rumbles again.

Um cano de espingarda aparece. É uma cor estranha, não muito prateada, nem muito cinza. As bocas gêmeas se parecem com o símbolo do infinito pintado de preto.
Em algum lugar além do céu escaldante, o trovão da tarde ressoa novamente.

The Regulators (Os Justiceiros, no Brasil) foi publicado pela primeira vez em 1996, assinado por Richard Bachman, o alter-ego de Stephen King. Ele faz par com o livro Desperation (Desespero) de um jeito bem incomum: ambos têm os mesmos personagens em papeis e histórias diferentes. Um não é continuação do outro, inclusive podem ser lidos independentemente da ordem. Garanto que se você ler um vai querer conhecer o outro. Eu li Desespero quando foi publicado pela primeira vez, pela editora Objetiva (já reli mais duas vezes), mas só agora consegui ler Os Justiceiros.

Um dos poucos livros do King que se passa fora do estado do Maine, aqui a ação é praticamente toda em um bairro de Wentworth, Ohio. É um típico dia de verão: crianças saem comprar doces enquanto o pai fica lavando o carro, pessoas dentro e fora de casa seguindo com suas vidas, o menino entregando jornal... que é brutalmente morto a tiros por uma van. A partir daí, o caos toma conta da antes pacata Poplar Street.

A história desse livro é muito louca, mas não vou comentar o motivo, para não dar spoilers. Foi totalmente diferente do que eu imaginava. Só preciso avisar que não é um livro para fracos de estômago: assim como Desespero, as cenas são bem gráficas em relação a sangue, ossos e vísceras.

The Regulators é mais um livro essencial em qualquer coleção Stephen King. Quando comecei a ler, não queria mais parar. Por isso, recomendo!

As capas originais dos livros formavam uma única imagem.

Nota:

Related Posts with Thumbnails