30 de maio de 2016

Destino Íntimo: Uma Jornada ao Pulsar de Um Estranho

Seria uma manhã como outra qualquer, se não fosse um detalhe. Os gritos. Aqueles gritos ecoando nas paredes. Ricocheteando em minha mente. A dor.

Quando comecei a ler Destino Íntimo, achei que iria encontrar mais um romance new adult comum. Quem conta a história é Luna, apaixonada por Felipe. Os dois namoravam, mas terminaram o relacionamento e agora ele está com outra pessoa.

Parecia que o livro ia ser sobre Luna tentando reconquistar Lipe, mas ele muda completamente quando o mundo acaba. É, isso mesmo. Luna acorda num dia e todos os prédios caíram aos pedaços e todos estão mortos.

A autora Gisele Galindo escreve muito bem e sabe prender a atenção do leitor. Eu emendava um capítulo no outro, querendo saber mais e o motivo de tudo ter acontecido tão de repente. Além disso, os capítulos tem títulos bem diferentes, como Sábias Palavras são Capazes de Esmagar um Espírito Conturbado.

A leitura estava indo muito bem no Wattpad, mas ao chegar no final do capítulo nº 41, uma surpresa: a autora não postou o livro na íntegra "devido a fatores externos de publicação". Que decepção, ler uma obra tão interessante e não encontrar seu final. Entendo que muitos autores postem capítulos para degustação no Wattpad, isso é bem comum, mas costumam deixar isso avisado. E outra: 41 capítulos não é degustação, é quase o livro inteiro. Não vou comprar o livro agora, sendo que já li quase tudo.

Eu estava gostando bastante de acompanhar a história da Luna. Era para ser um livro 4 ou 5 estrelas, mas o fato do livro não ter final jogou um balde de água fria na minha vontade de continuar a ler essa trilogia.

Nota:

28 de maio de 2016

O Quarto Dia

Bem vindo a bordo do Belo Sonhador!
Parabéns por escolher um Cruzeiro Foveros, sua passagem somente de ida para o Relaxamento e a Diversão! Diversão! Diversão!

Se em Os Três Sarah Lotz lhe deixou com medo de viajar de avião, é melhor fazer aquela viagens dos sonhos de cruzeiro antes de ler O Quarto Dia.

Era para ser uma viagem tranquila de ano-novo, mas acabou se tornando um pesadelo. O cruzeiro da Foveros deixou a ensolarada Miami para navegar pelas águas do Caribe. Do primeiro ao terceiro dia, a viagem foi tranquila. Mas, no quarto dia, o cruzeiro sofre uma pane elétrica, ficando a deriva.

Cada capítulo conta a história do ponto de vista de um personagem que estava no cruzeiro. Foi só depois de vários capítulos que percebi que o nome dos capítulos se repetiam, e cada um remetia ao personagem que estava sendo acompanhado. Temos "a assistente da bruxa", Maddie."O condenado", Gary. "As irmãs suicidas", Helen e Elise, entre outros.

Este livro é uma continuação solta de Os Três, mas é possível ler sem ter lido o anterior. Eu amei Os Três (leia a resenha aqui) e O Quarto Dia é igualmente empolgante. A narrativa é viciante e cercada de mistérios, dava vontade de não fazer mais nada além de ler esse livro.


Uma das coisas que eu mais fiquei pensando é quanta coisa acontece nos bastidores de um cruzeiro que a gente nem se dá conta. Eu já viajei de cruzeiro aqui no Brasil (e amei!), mas nunca havia parado para pensar em uma coisa super importante que para de funcionar quando acaba a eletricidade do navio: as descargas dos banheiros. Já deu pra imaginar, né? E a autora descreve tão bem a situação que dava até pra sentir o cheiro daqui. Eu achei isso mais tenso do que qualquer acontecimento sobrenatural que tenha ocorrido no livro!

Eu realmente achei que esse livro ia ser cinco estrelas e entrar na lista de melhores do ano, mas o final me decepcionou. Depois que terminei, fiquei meia hora olhando pro livro, tentando entender como aquele final se encaixava na história. E não consegui. Pareciam duas histórias desconexas. Não sei se vai ter outro livro depois desse, mas eu espero que tenha, pois preciso de explicações.

Mesmo assim, Sarah Lotz definitivamente é uma autora que quero acompanhar. Que venham mais livros dela!

Outras capas:


Nota:

Livro cedido para resenha pela Editora Arqueiro.

26 de maio de 2016

The Sign of the Cat

Duncan was a boy who could speak Cat.
He had known cat language since he was small, because the cat who lived at his house took the trouble to teach him. It wasn't until he was a little older that he realized this was highly unusual.

(Duncan era um menino que podia falar Gato.
Ele havia conhecido a linguagem dos gatos desde que era pequeno, porque a gata que vivia em sua casa se deu ao trabalho de lhe ensinar. Não foi até ele se tornar um pouco mais velho que ele percebeu que isso era altamente incomum.)

O primeiro parágrafo do livro já resume porque eu decidi comprá-lo (além da capa linda!). Duncan é um garoto que sabe falar a linguagem dos gatos. Gente, se eu soubesse falar Gato, facilitaria tanto a minha vida com meus dois filhos felinos. Seria um sonho!

Mas a apesar dessa característica bem legal, a vida de Duncan não é fácil. Ele não sabe por quê, mas ao contrário das outras mães, a sua não quer que ele se destaque em nada. Tirar nota 10? Que nada, ela quer que ele fique na média mesmo.

Porém, duas coisas diferentes acontecem na pequena Ilha de Dulle. Filhotes de gatos estão desaparecendo e um novo navio atraca no cais. Logo a vida de Duncan muda totalmente - com a ajuda da pequena Fia, uma gatinha bem esperta com um olho de cada cor.


Esse livro foi uma verdadeira montanha-russa! Ele começou muito fofo, com gatos falantes e peludos. Depois ficou cada vez mais tenso, até que eu ficava pensando no livro o tempo todo, roendo as unhas e imaginando o que ia acontecer com Duncan - mas principalmente com a Fia, que eu tinha vontade de apertar.

Infelizmente, The Sign of the Cat (o sinal do gato) é inédito no Brasil, mas quem lê em inglês pode adquirir o e-book para Kindle. Eu adorei o livro e recomendo para quem gosta de gatos e aventura. Ele também tem uma ilustração em cada capítulo, o que o torna ainda mais especial.

Nota:

25 de maio de 2016

Quero ver no Brasil: The Problem With Forever

Quarta-feira é dia de conhecer um lançamento do exterior inédito no Brasil! A autora de hoje já é conhecida por aqui: Jennifer L. Armentrout, da série Obsidiana.

Para algumas pessoas, o silêncio é uma arma. Para Mallory "Mouse" Dodge, é um escudo. Ao crescer, ela aprendeu que a melhor maneira de sobreviver era não dizer nada. E apesar de terem se passado quatro anos desde seu pesadelo acabou, ela está começando a se preocupar que o medo que a segura vai durar uma vida.

Agora, depois de anos estudando em casa com seus pais adotivos, Mallory tem de enfrentar um novo marco - seu último ano na escola pública. Mas de todos os cenários terríveis e emocionantes que ela imaginou, há um com o qual nunca sonhou - que ela encontraria Rider Stark, o amigo e protetor que não tenha visto desde a infância, em seu primeiro dia.

Não demora muito para que Mallory perceba que a conexão que ela dividia com Rider nunca realmente desapareceu. No entanto, quanto mais profunda sua ligação, mais se torna evidente que ela não é a única com as cicatrizes remanescentes do passado. E enquanto ela observa a vida de Rider sair de controle, Mallory enfrenta uma escolha entre permanecer em silêncio e falar - para as pessoas que ama, a vida que ela quer, e as verdades que precisam ser ouvidas.

(Sinopse traduzida por mim do Goodreads)

Esse livro parece ser bem diferente do outro livro da autora que eu li (Não olhe para trás), mas já fiquei curiosa para saber o que Mallory sabe que não pode falar a ninguém. Espero que The Problem With Forever (o problema com para sempre) seja publicado no Brasil!

23 de maio de 2016

Harlequin: Lançamentos de Maio/2016

Oi pessoal! Vamos conhecer os lançamentos do mês da Harlequin?

Preparem os bolsos e as wishlists, porque tem MUITA coisa boa!



Quais livros vocês querem ler?
Related Posts with Thumbnails