28 de julho de 2015

Os príncipes encantados também viram sapos

Ao olhar ao redor e se ver cercada por toda sua família, Kate se sentiu a mulher mais feliz do mundo. Sabia, porém, que aquilo tudo não existiria sem Sam, o cara por quem se apaixonou enquanto o via surfar e o homem forte que soube lhe dar uma chance quando ela havia falhado com ele.

Durante suas férias de verão na California, em 1995, Kate e Sam se conheceram enquanto ele estava surfando com seu irmão, Michael, na praia. Desde então, não se separaram mais. Os anos passam, eles se casam, tem duas filhas. Para todos, é um casamento perfeito. Até que, em 2010, um telefonema muda tudo.

O amor merece uma segunda chance?

Este é o 6º livro da autora espanhola Megan Maxwell que eu leio e foi uma ótima surpresa. Na trilogia Peça-me o que quiser e sua continuação, Surpreenda-me, a autora mostrou sua veia erótica, com narrativa viciante e de tirar o fôlego. Em Vai Sonhando!, fomos mais para o lado da comédia romântica e eu dei várias risadas. Porém, Os príncipes encantados também viram sapos é bem diferente dos outros livros. Encontrei nele uma história sobre amor, perdão e recomeços.

O livro me fez questionar quantos casamentos que a gente vê por aí e parecem perfeitos... Mas o que será que eles escondem? No caso de Kate e Sam, ninguém sabia o que estava acontecendo, eles eram como os personagens de um conto de fadas. Mas, a medida que segredos vão sendo revelados, os dois precisam trabalhar para perdoar um ao outro - e a si mesmos.

Algo que está presente em todos os livros da Megan é a participação da família na história. Aqui, ela é o principal, o que une todos os personagens. Eu, particularmente, virei fã da Serena, mãe de Kate, que chega a dar uma bolsada em um cara para defender sua neta.

Imagem original: hawaii-all-inclusive.net

O prêmio de personagem mais irritante vai para Terry, irmã de Kate. É óbvio que ela e Michael se amam há muitos anos, mas ela não quer ter um relacionamento romântico com ele por medo de estragar a amizade. A irmãzinha casca-grossa se esconde por trás de uma aparência rebelde, por não querer mostrar seus verdadeiros sentimentos. Eu até senti pena do Michael!

Apesar do que Sam fez com a Kate, e vice-versa, eu não senti raiva deles em nenhum momento. Pelo contrário, eu queria muito que eles ficassem juntos novamente. Ficava torcendo por um final feliz... E olha que ele demorou para chegar! Teve momentos em que pensei que iria terminar o livro chorando de raiva desses cabeças-duras.

Os príncipes encantados também viram sapos me fez torcer pelo amor e, de quebra, me levou para uma viagem ao Havaí. Recomendo!

Outras capas:


Nota:

Livro cedido para resenha pela Suma de Letras.
Related Posts with Thumbnails