29 de janeiro de 2018

Far from the Tree

Grace had always known that she was adopted. Her parentes had never made a secret of it. They didn't really talk about it, either. It just was.

(Grace sempre soube que era adotada. Seus parentes nunca haviam feito disso um segredo. Eles também não falavam sobre isso. Simplesmente era.)

Ainda não havia lido nenhuma resenha deste livro quando ele apareceu, por acaso, na lista de sugestões do Audible (aplicativo de audiobooks). Normalmente não costumo ler/ouvir dramas familiares, não gosto muito do assunto, mas como o livro já ganhou um prêmio, resolvi arriscar. E foi uma enxurrada de emoções cada vez que eu colocava o fone no ouvido.

O livro começa contando a história de Grace, uma adolescente de 16 anos que fica grávida do namorado. Ela foi adotada e seus pais a apoiam quando ela decide colocar seu bebê também para adoção. Porém, após o parto, ela anuncia que deseja ir atrás de sua mãe biológica.

Nessa jornada, ela conhece Maya, sua irmã biológica mais nova. Ela, por sua vez, foi adotada por uma família rica, que se descobriram "grávidos" logo após a adotarem. Seus pais não a devolveram por isso...

...Ao contrário de Joaquin, o irmão biológico mais velho das duas, que passou seus 17 anos pelo sistema de adoção. Agora ele vive com um casal que o ama, mas já sofreu tanto que tem dificuldade de retornar esse amor.

Gostei tanto dos personagens desse livro que já sentia que Grace, Maya e Joaquin eram meus irmãos, minha família. Sofri muito com eles, dei risada, chorei... Não via a hora de encontrá-los por alguns minutos por dia. Joaquin foi o mais sofrido de todos, eu queria entrar no livro, abraçá-lo e dizer que tudo ficaria bem.

Far from the Tree fala de gravidez na adolescência, adoção, bullying, alcoolismo, família... Mas sem ser chato em nenhum momento. O audiobook foi muito bem narrado por Julia Whelan, que conseguiu transmitir toda a emoção da narrativa.

O título do livro (longe da árvore), vem de uma expressão em inglês: the apple doesn't fall far from the tree (a maçã não cai longe da árvore). Significa que o filho tem características em comuns com os pais, como a nossa expressão "filho de peixe, peixinho é". Após a leitura, é possível entender por que o livro tem esse nome.

Outras capas:


Nota:

Related Posts with Thumbnails